Falta de tempo para cozinhar é um problema que aflige cada vez mais pessoas. Para facilitar o trabalho do dia a dia e driblar a tentação da comida pronta, ter a despensa abastecida com alguns ingredientes essenciais é fundamental.

Com produtos básicos, como cebola e alho, tempera-se praticamente qualquer coisa sem grandes preocupações – e sem ter de lançar mão de temperos prontos industrializados. Além disso, outros itens como mostarda, vinagre e azeite se transformam em molhos rápidos e trazem vida a qualquer legume ou carne mais sem graça.

Além das ervas, especiarias e pimentas, que já abordamos anteriormente, conheça abaixo a seleção dos temperos básicos que não podem faltar na sua cozinha e veja como usá-los a seu favor.

Cebola

A cebola, junto com o alho, forma a dupla imbatível da cozinha. Pode ser cortada em cubinhos e usada como base para refogados de carnes, legumes, massas, arroz, feijões. Em meias-luas, douradas na manteiga ou no azeite, servem como acompanhamento para inúmeros pratos. E, se houver apenas caldo (de carnes, aves ou legumes) e cebolas disponíveis, dá para fazer uma sopa básica, bem rápida e saborosa. Apenas refogada, em rodelas, a cebola também é ótimo recheio para tortas ou cobertura para o tradicional bife acebolado, para quem não se incomoda com seu sabor forte e picante. Crua, é ainda mais intensa no paladar, e vai bem com pratos frios, como saladas, ceviches e tartares. Na hora de comprar, prefira as que estejam bem firmes, sem partes moles, e conserve-as fora da geladeira.

Alho

É o par perfeito da cebola e um dos temperos mais básicos. Com um dente de alho apenas, dá para aromatizar fatias de pão tostadas com azeite, raspando suavemente o alho na superfície do pão, ou picá-lo bem fininho para trazer sabor a um molho básico de salada. Picado ou espremido, o alho é usado, em geral, como base para refogados. Quando levemente dourado no azeite, combina muito bem com legumes cozidos no vapor e verduras amargas cozidas, como escarola, catalônia e almeirão. A cabeça de alho pode ser assada inteira, com casca, até ficar bem macia, o suficiente para passar no pão e servir como aperitivo. Na hora de assar batatas, distribua alguns dentes de alho entre os tubérculos picados, para perfumar e trazer sabor. E, para um macarrão rápido, basta dourar bastante alho no azeite, temperar com sal e pimenta, e misturar à massa recém-cozida e escorrida. Com um pouco de queijo parmesão para completar, é uma refeição rapidíssima e bastante saborosa. Seu sabor intenso combina muito com carnes, especialmente cordeiro, boi e aves. Compre as cabeças de alho mais pesadas, que indicam que o alho está fresco. Conserve sempre fora da geladeira.

Vinagre

Ter um vinagre de boa qualidade na geladeira é fundamental. Prefira os elaborados com vinho tinto ou branco, ou ainda o vinagre de cidra, que são básicos e combinam com tudo. O uso clássico para esse ingrediente é o molho vinagrete francês, que combina três partes de óleo (azeite, por exemplo) para uma parte de ácido (vinagre ou suco de limão). Com um toque de sal e pimenta-do-reino preta moída na hora, é só misturar bem, para emulsionar as partes, e obter um molho aveludado, perfeito para folhas cruas e legumes cozidos. Mas nem só de cozinha fria vive o vinagre. Se usado com sabedoria, ele transforma o sabor de carnes ensopadas, pratos com aves, cogumelos salteados e até massas doces. Lagarto bovino ou carne de porco cozidos na panela de pressão com tomate e cebola ganham vida nova com um toque de vinagre. Em geral, uma colher de sopa é suficiente para meio quilo de carne. Na hora de usar o vinagre como ingrediente, menos é mais: se exagerar, a acidez dominará o prato.

Azeite de oliva

Dentre os óleos vegetais disponíveis para cozinhar, o azeite de oliva é um dos mais interessantes, pois agrega não só untuosidade, como também sabor. Os extravirgens são os melhores, variando em intensidade de acordo com o teor de maturação da azeitona e o tipo de oliva utilizado. São excelentes para preparar ou finalizar pratos frios e quentes. Legumes e verduras refogados com óleo de oliva ficam muito mais saborosos, assim como molhos variados para massas. Cru, pode ser usado como base para o molho pesto, tradicionalmente preparado com manjericão, pinoles e queijo parmesão. Um macarrão ao alho e óleo fica muito mais saboroso se preparado com um bom azeite, assim como os pratos à base de bacalhau, combinação mais do que clássica da cozinha portuguesa. Na hora de comprar, escolha os azeites mais novos, que estão no auge de seu aroma e sabor. Se não tiver um uso frequente, prefira as garrafas menores. Depois de aberto, o azeite vai oxidando e perdendo parte de suas características aromáticas.

Mostarda

Parceiro do catchup no acompanhamento de hambúrgueres e hot dogs, o molho de mostarda serve não apenas para ser servido puro, mas também como ingrediente básico para uma série de pratos. Dentre as variedades disponíveis no mercado, as mais comuns são as mostardas claras e escuras, de receita alemã, e a mostarda Dijon francesa, de paladar mais refinado. São usadas para realçar o sabor de receitas frias, como steak tartare, club sandwich e hackepeter, carne crua temperada, típica do sul do país. Misturada com iogurte integral, azeite e temperos, a mostarda vira um molhinho rápido para legumes crus ou cozidos. Em pratos quentes, entra como ingrediente de marinadas e molhos quentes para carne bovina, porco e aves. O filé-mignon ao molho de mostarda é um clássico da cozinha francesa e fica com sabor ainda melhor se a mostarda for Dijon. Uma vez aberta, deve ser conservada sempre em geladeira. Aqui, vale a mesma dica do azeite: se o consumo for pequeno, compre embalagens menores, para garantir que a mostarda esteja fresca quando precisar.

Shoyu

Ingrediente típico da cozinha japonesa, o shoyu (molho de soja) é prático para usar no dia-a-dia, mesmo em receitas que não sejam orientais. Como é bastante salgado, pode substituir o sal em preparos como legumes salteados, carnes grelhadas e cogumelos. Também é ótimo tempero para carnes ensopadas, como picadinho. Comece usando uma pequena quantidade, pois seu sabor é bem intenso. Um pouco de shoyu, vinagre de vinho branco e óleo compõem um molho de salada prático e saboroso, que fica ainda melhor se finalizado com gotas de óleo de gergelim. Também pode ser acrescentado em caldos e sopas, para realçar o sabor e salgar. Para temperar carne de porco ou as partes escuras de aves, como coxas e sobrecoxas, combina com gengibre ralado, cebolinha verde e um pouco de açúcar mascavo, que traz um sabor agridoce. Conserve na geladeira depois de aberto.

Queijo parmesão

Um pedaço de queijo parmesão na geladeira é ouro. Se bem acondicionado, dura bastante tempo e pode ser consumido aos pedaços, como aperitivo, ou ralado sobre os pratos, especialmente sopas e massas. Como ingrediente, o parmesão é extremamente versátil. Pode ser polvilhado sobre fatias de pão amanhecido, levadas ao forno para se obter torradinhas rápidas. Na omelete, levanta o sabor e transforma um preparo simples em prato principal. É componente fundamental de molhos frios, como o pesto, e ingrediente indispensável para dar cremosidade aos risotos. Ainda é básico para gratinar qualquer coisa que vá ao forno, de lasanhas a tortas. As cascas mais duras podem ser acrescentadas a sopas e caldos, para enriquecer o sabor. Compre pedaços pequenos e mantenha-os bem embalados, na geladeira.

Baunilha

O “tempero” básico para doces é a baunilha. Em geral, encontra-se o extrato, ou essência, aromatizado artificialmente. Mas em mercados especializados é possível encontrar também a fava de baunilha natural, de sabor mais delicado, que se conserva por muito tempo desde que bem acondicionada. Suas semente pretas, minúsculas, devem ser raspadas de dentro da fava, cortada ao meio no sentido do comprimento. Essas sementinhas são usadas para aromatizar as receitas. Seja extrato, essência ou fava natural, a baunilha é o ingrediente perfeito para trazer perfume agradável e adocicado a chantilly, cremes, pudins, caldas, biscoitos e preparos diversos. As favas são mais caras que o extrato, mas são inteiramente aproveitadas. Depois de usadas, podem ser colocadas no pote de açúcar, para se obter um açúcar baunilhado natural.

Fonte: Comidas e Bebidas Uol

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários