O desemprego é um dos principais males da economia brasileira. Segundo dados recentes do IBGE, hoje são mais de 13 milhões de pessoas desempregadas em todo o país. Portanto, a concorrência na hora de conquistar a almejada vaga de trabalho se torna ainda mais acirrada. Mas há alguns passos que podem ajudar o candidato a sair na frente dos demais.

Além da experiência e formação educacional, cada vez mais as empresas buscam profissionais que tenham um perfil comportamental determinado, que, no entendimento do recrutador e contratante, se encaixará melhor na vaga disponível. Para isso, é crucial que o candidato, durante a entrevista de emprego, se sobressaia.

É possível usar algumas ferramentas simples da programação neurolinguística para ajudar a pessoa a se sair bem em entrevistas de emprego e dinâmicas de grupo. As técnicas de PNL, quando bem aplicadas, ajudam a pessoa a transmitir sua mensagem e demonstrar o que de fato sabe com muito mais eficácia. Isso é bom para o candidato, que consegue ser mais transparente e seguro na hora da entrevista, e também para a empresa, pois terá uma ideia mais concreta do perfil do candidato à vaga.

Desenvolvida na década de 70, a programação neurolinguística é a ciência que estuda como a linguagem e as emoções afetam nossas ações. Com a pesquisa finalizada, os responsáveis descreveram a relação entre a mente (neuro) e a linguagem verbal e não verbal (linguística), e como essa interação pode ser organizada (programação). Dentre as técnicas englobadas pela PNL, uma das mais indicadas para uma entrevista de emprego é a empatia, também chama de Rapport.

Essa técnica é usada para criar um clima ameno e agradável, uma espécie de quebra gelo, sendo ideal para quando precisamos ter eficácia em nossa comunicação.

Algumas dicas de PNL, usando a técnica da Empatia (Rapport):

1. Utilize mesmo vocabulário: Preste atenção nas palavras chaves que o entrevistador utiliza. Quando você estiver falando, utilize as mesmas palavras dentro do seu discurso e contexto;

2. Tom de voz: perceba se o entrevistador fala em tom alto, médio ou baixo. Quando você for falar, reproduza esse mesmo tom na conversa;

3. Ritmo na fala: imprima o mesmo ritmo na hora de falar que o entrevistador. Se o entrevistador falar rápido, fale rápido ou se ele falar mais devagar, fale mais devagar;

4. Repare como o entrevistador senta-se na cadeira, gesticula etc: procure um ou dois movimentos que você possa acompanhar e espelhar do seu entrevistador no início da entrevista;

5. Respiração: esse é o movimento mais difícil de ser executada. No entanto, é o que dá mais efeito. Também, é muito utilizado para criar Rapport quando estamos falando ao telefone.

Fonte: Administradores

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários