A American Burger, criada pela empresária Camila Guerra, vende uma média de 600 lanches por dia e fatura mais de R$ 5 milhões por ano.

No início de 2015, a mineira Camila Guerra resolveu usar toda sua economia para abrir um delivery de lanches. Com um investimento inicial de R$ 800, ela selecionou os melhores ingredientes para o hambúrguer e comprou embalagens de qualidade. “Como tinha pouco dinheiro para começar, optei por comprar em quantidades menores para manter um alto padrão”, relembra.

Da cozinha de casa, criou sua própria receita de hambúrguer, montou um cardápio com 12 opções de lanches e abriu a American Burger. “Divulguei meu negócio no boca a boca, com panfletos e também pelas redes sociais”, conta.

Nos dois primeiros meses, Camila vendia uma média de três lanches em dias normais. Em noites de alta saída, conseguia chegar a 16 vendas. “Entregava tudo de carro. Quando um cliente estranhava, dizia que tinha ido eu mesma porque a noite estava sobrecarregada de pedidos.”

Em menos de três meses, resolveu se cadastrar na plataforma de delivery iFood para expandir as vendas. Os pedidos aumentaram tanto que foi preciso contratar motoboys para ajudar com a entrega. Como seu foco era ser 100% delivery, decidiu expandir ao máximo a área de atuação em Contagem (MG). “Sempre detestei ligar em um restaurate e ouvir que eles não entregavam no meu endereço. Meu objetivo era atender todo mundo”, conta.

Em agosto, apenas quatro meses após começar a American Burger, a produção estava tão intensa que ela teve que mudar de endereço. “Começou a ficar meio desorganizado e insustentável. O sofá da minha sala, por exemplo, quebrou de tanto motoboy sentar”, comenta. Toda a operação foi, então, transferida para um prédio de dois cômodos que pertencia à família – embora totalmente reformado, o prédio é até hoje a sede da marca.

A decisão de focar apenas no delivery e de aderir à plataforma de entregas deu tão certo, que a mineira fechou 2015 vendendo uma média de 75 mil lanches por mês. Em 2017, a American Burger bateu as 600 mil unidades por mês, chegando a um faturamento de R$ 5 milhões. A projeção para este ano é de R$ 7 milhões.

Padrão American Burger

Para garantir que a entrega seja bem feita, e siga o mesmo padrão de qualidade da produção dos lanches, Camila não terceiriza os motoboys. Todos são funcionários da empresa e precisam seguir à risca padrões de comportamento. “Ele é o meu garçom, a única pessoa que vai conhecer pessoalmente meu cliente, então precisa ser o mais educado e cordial possível para garantir uma boa experiência”, explica.

No começo do negócio, a American Burger fazia entregas apenas em Contagem, sua cidade natal. Atualmente, no entanto, a entrega é feita em um raio de 25 quilômetros, o que abrange também Belo Horizonte, Betim e Nova Lima.

Camila adquiriu ainda sua primeira e única lanchonete física da American Burger, em Nova Lima. “Foi uma oportuidade de negócio, a lanchonete já existia. Mas meu foco e prioridade continuam sendo o delivery”, comenta. A unidade é usada também como um segundo ponto de partida para as entregas.

Além das 12 opções de carne vermelha, a marca vende ainda hambúrguer de frango, um vegetariano (grão de bico) e um de salmão, lançado em março deste ano. A média de preços varia de R$ 23 a R$ 35, mais taxa de entrega.

“Acredito que meu sucesso tem muito a ver com a decisão de investir apenas no delivery. Não acho que seja possível ter excelência quando o foco está dividido entre entrega e espaço físico”, conta.

Fonte: Empresas&Negócios

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários