Revolução na COzinhaAutor: Jamie Oliver

Editora: Globo Editora

Sinopse

Jamie Oliver é um dos mais famosos chefs da Grã-Bretanha, não somente por causa dos seus programas de televisão, mas também por iniciativas como o projeto do restaurante Fifteen – quando treinou quinze jovens carentes para se tornarem chefs – ou a campanha contra alimentados processados servidos em escolas. O seu mais recente desafio é o novo lançamento da Editora Globo, Revolução na cozinha, também uma série televisiva exibida no canal GNT.

Inspirada pelo Ministério da Comida, criado durante a Segunda Guerra Mundial para ‘garantir alimento suficiente para todos e educar as pessoas sobre alimentação e nutrição adequada’, a revolução atual proposta por Jamie Oliver é um movimento alimentar de conscientização das ‘pessoas que pensam que jamais poderiam aprender a cozinhar ou que não seriam capazes de enfrentar um fogão’, baseado em uma idéia batizada de passe adiante, isto é, cada pessoa aprende uma receita e a passa adiante para outras pessoas, divulgando a alimentação saudável em progressão geométrica.

De forma didática, o livro apresenta receitas conhecidas em versões simplificadas, ilustradas por fotografias que mostram passo a passo a preparação. E para cada uma delas, uma pequena apresentação onde o chef britânico dá dicas como ‘fica ótimo com ‘arroz, batata ou pão’ (Salmão assado em cartucho de papel-alumínio com vagens e pesto) ou ‘é melhor cozinhá-lo para duas pessoas’ (Minha carne de porco agridoce), entre outras.

Além das receitas, o livro conta com uma introdução especial, ‘Essenciais’, onde apresenta uma lista de utensílios essenciais para uma cozinha, assim como uma lista de itens básicos para a despensa, ambas com fotos. Ao todo são quatorze capítulos que tratam dos mais variados temas: ‘Refeições de vinte minutos’, ‘Massa rápida’, ‘Delícias à moda chinesa’, ‘Curries fáceis’, ‘Saladas adoráveis’, ‘Sopas simples’, ‘Carne moída caseira’, ‘Ensopados reconfortantes’, ‘Assados da família’, ‘Vegetais deliciosos’, ‘Receitas rápidas de carne e peixe’, ‘Peixe clássico’, ‘Cafés da manhã energéticos’, ‘Coisas doces’.

Com Revolução na cozinha nas mãos, qualquer pessoa pode (e deve) se aventurar em uma cozinha. Como o mineiro Mick, de Rotherham, norte da Inglaterra, que participou da ‘revolução’ sem nunca antes ter cozinhado em sua vida e logo na primeira vez fez um peito de frango com prosciutto e aspargos. Passe adiante!

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários