Tem petisco vegetariano no Comida di Buteco? Quanto custa ir a todos os bares participantes? Quais foram os campeões? O G1 tabulou a ficha dos 58 estabelecimentos participantes da 11ª edição do Comida di Buteco no Grande Rio e descobriu essas e outras informações.

Alguns dos participantes do Comida di Buteco 2018 (Foto: Montagem sobre fotos de divulgação)

O festival começou dia 13 de abril e vai até 13 de maio. Há bares de todas as regiões do Rio e também da Baixada. Todos os 58 disputam o título estadual, que leva à final nacional, em junho.

Curiosidades

PREÇO

  • Provar todos os quitutes desta edição custa R$ 1.401,70.
  • Como no ano passado, há um “teto” para o preço da guloseima: em 2018 é R$ 25,90.
  • Dos 58 butecos, 34 (ou seis em cada dez) cobram pelo teto.
  • Mas em sete bares o petisco sai por menos de R$ 20.

Angu do Gomes, Centro. Empada do Angu (Foto: Divulgação/Comida di Buteco)

  • O mais barato custa R$ 11,90: é a empada do Angu do Gomes.
  • Nove bares fugiram dos 90 centavos e cobraram preço redondo. E o Edinho do Caranguejo botou seu petisco a R$ 16,50.

GEOGRAFIA

Cais Bar, na Ilha da Gigoia (Foto: Divulgação)

  • Cinco butecos estão inacessíveis de carro. Ficam em ilhas: três na da Gigoia (Barra), dois em Paquetá.
  • maior distância entre dois butecos é de 47 km: do Colarinho Branco, em Nova Iguaçu, ao Bar Urca.
  • E a menor é entre dois de Botafogo: o Duque e o Dafoca ficam a 77 metros um do outro, dobrando a esquina.
  • Grajaú é o bairro com mais representantes. São cinco.

FORMATO DOS PETISCOS

Tipo de quitute servido

Bolinho: 14Empada: 6Escondidinho: 8Empratado: 21Sanduíche: 3Tapa: 3Outros: 3

Bolinho
Bares 14
Fonte: Comida di Buteco
  • Cerca de um terço (21 dos 58) dos quitutes vem empratado, e recomenda-se o uso de garfo e faca.
  • Bolinhos ainda são o forte do festival e respondem por um quarto das escolhas.
  • Escondidinhos (ou releituras) vêm em terceiro lugar.

INGREDIENTES

  • carne bovina é rei na Comida di Buteco: quatro em cada dezelegeram como ingrediente principal.
  • Em segundo lugar, peixes (sobretudo o bacalhau) e frutos do mar: quase um quarto aposta em pescados e afins.
  • Carne de porco é a estrela de dez bares.
  • Cinco butecos oferecem um mix de carnes para agradar ao paladar da freguesia.
  • dois estabelecimentos vão de opções sem carne: O Bar do Horto, com o bolinho de arroz arbório com parmesão e molho de frutas, e o Papo Inicial, que traz o risoto de arroz arbóreo com aspargos em massa folhada com grana padano.

COMPETIÇÃO

  • No concurso regional, há um empate entre o Bar do David e o Original do Brás.
  • Cada um subiu ao pódio cinco vezes.
  • Se a colocação fosse como na Olimpíada, ambos colecionariam dois ourosuma prata e dois bronzes.
  • Somente em 2012 os dois subiram juntos ao pódio. Mas não como campeão. A taça ficou para o Nordestino Carioca. David foi vice, e o Original, o terceiro.
Bar do David (Foto: Reprodução/Globo News)

Bar do David (Foto: Reprodução/Globo News)

  • Mas David desempata porque foi campeão nacional em 2016 e vice em 2017 (perdendo para um paulista.
  • Três campeões não concorrem mais: a Academia da Cachaça, o Nordestino Carioca e o Bar da Frente.
  • Petiscos com carne foram campeões sete vezes. Porco, peixe e vegano levaram um caneco cada um.

Fonte: G1

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários