Os produtores artesanais querem sair da ilegalidade e o Paladar está empenhado em defender esta causa. Não é novidade, já dedicamos várias capas ao assunto, já promovemos debates entre chefs e a Anvisa e não perdemos a oportunidade de voltar ao assunto sempre que necessário. Temos feito nossa parte e não porque gostamos de polêmica, mas porque gostamos de comer os queijos artesanais brasileiros, feitos ou não com leite cru, embutidos, méis nativos, entre outros produtos artesanais de nossa tradição culinária. E defendemos o direito de todos os brasileiros poderem ter acesso a esses produtos.

Queremos que eles sejam seguros ao consumo, elaborados de acordo com as normas sanitárias adequadas, porém para isso, os pequenos produtores precisam ter a possibilidade de se enquadrar na lei, o que atualmente não é possível. É preciso ter uma legislação específica para produtos artesanais de origem animal, com regras claras e exequíveis, e fiscalização adequada. Como fazer isso? Pois é justamente essa pergunta que estimulou a organização de um debate aqui no auditório do Estadão, na sexta-feira, dia 10 de novembro.

1509572432727

Os debatedores

Vamos reunir produtores de queijos e embutidos, responsáveis pela fiscalização no Ministério da Agricultura e Pecuária, representantes da Anvisa, integrantes de ONGs, comerciantes de queijos, além de chefs.
Serão dois painéis, ambos mediados pela editora do Paladar, Patrícia Ferraz. O primeiro será dedicado aos queijos e terá entre os debatedores o Secretário de Defesa Agropecuária, do Ministério de Agricultura e Pecuária, Luis Rangel, a diretora da ONG Sertãobras, blogueira do Paladar e mestre queijeira, Débora Pereira, os queijeiros João Leite e Osvaldo Filho, o deputado José Silva, autor de um projeto sobre produtos artesanais que está em tramitação, Ricardo Boscaro, do Sebrae MG que desenvolve trabalho de capacitação de queijeiros mineiros e Fernando Oliveira, dono da A Queijaria, loja dedicada aos queijos brasileiros, que faz importante trabalho de garimpo e divulgação de queijos diversas partes do País.

O tema do segundo painel serão os embutidos e demais produtos de origem animal. Na mesa de debates, o chef Jefferson Rueda, que faz embutidos incríveis que pode servir em seu restaurante A Casa do Porco, mas não pode vendê-los se um cliente quiser levar para casa. Também estará presente o gastrônomo e colunista do Paladar Roberto Smeraldi. Outras presenças já confirmadas são Bruno Alves, da loja Delika, no Mercado de Pinheiros e do restaurante Kød, que faz embutidos; a autoridade sanitária Andrea Boanova, da Covisa e o Secretário de Estado de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim.

Na plateia estarão alguns convidados entre chefs, integrantes de ONG entre outros como o queijeiro francês Hervé Mons, de Auvergne, que está curando queijos do Serro na França para trazer ao evento – produtores também devem trazer queijos e embutidos para montar uma mesa no fim do evento.

COMO PARTICIPAR

Debate “Artesanais querem sair da ilegalidade”

Onde: Auditório Estadão – Av. Professor Celestino Bourroul, 100, Limão

Quando: 10 de novembro, das 14h30 às 17h40

Incrições: Gratuitas, pelo site estadaoeventos.com.br/paladar

Fonte: Paladar

 

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários