TQ 0627 LIMA 02.07.2013 PALADAR ESPECIAL EXCLUSIVO EMBARGADO RESTAURANTE MAIDO, do chef Mitsuharu "Micha" Tsumura, especialista na cozinha japonesa tradicional e também criador de pratos nipo peruanos. Preparo de nigiris de La Tierra - a lo pobre (com ovo), papada adobada, foie con salsa de anguila y sal de maras. Gastronomia peruana. Equipe do Paladar visitou alguns dos principais restaurantes da capital do Peru, Lima. FOTO TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

 

1. Maido, Lima (Peru)

Com sua cozinha Nikkei – uma fusão da cozinha japonesa e peruana – o chef Mitsuharu Tsumura, o simpaticíssimo Misha, é considerado o melhor no estilo em Lima. E não por acaso, sua cozinha tem à disposição a enorme diversidade de peixes e frutos do mar do Peru, combinada ao talento e criatividade do time de cozinheiros e sushimen. A casa estava em segundo lugar no ranking do ano passado e agora chegou ao topo do ranking na América Latina. O Maido é o 8º colocado no ranking mundial. O menu-degustação, a Experiência Nikkei, consiste em 13 pratos e custa 415 sóis (R$ 415), ou 635 sóis (R$ 635) com harmonização.  Foto:Tiago Queiroz/Estadão

2. Central, Lima (Peru)

No Central, tudo que chega aos pratos é 100% peruano, geralmente colhido pela iniciativa Mater – expedições integradas por profissionais de áreas distintas que garimpam produtos nativos por todo o país, do litoral aos Andes, chegando a localidades a 4.200 metros de altura. Na cozinha, o casal Pia León e Virgilio Martinez comanda as panelas. Pensado para mostrar as mudanças nos ingredientes peruanos de acordo com altitude do país, o menu Alturas Mater pode ser provado em uma versão de 17 etapas por 510 sóis (R$ 510). A versão com 11 pratos, Ecosistemas Mater, sai por 481 sóis (R$ 481). As duas opções possuem versão vegetal. Foto:Tiago Queiroz/Estadão

ALEX ATALA

3. D.O.M., São Paulo (Brasil)

Comandado por Alex Atala, o D.O.M. se mantém como o melhor restaurante brasileiro na lista desde o início da premiação, em 2013. Brasileiro mais bem colocado na lista dos melhores da América Latina, permanece em terceiro lugar na lista, mesma posição do ano passado. Para comer no D.O.M., existem duas opções: O menu Optimus com 6 etapas, por R$ 485. E o menu Maximus, de 10 etapas, por R$ 645 sem harmonização. Com vinho, o menu mais longo fica R$ 1030. Foto:Filipe Araújo/Estadão

huitlacoche_araceli_paz.jpg  ARQUIVO  03/06/2016  PALADAR 3. Huitlacoche (fungo de milho) com molleja do restaurante Pujol, no México Crédito Araceli Paz/Divulgação

 

4. Pujol, Cidade do México (México)

Mais um restaurante que aposta em ingredientes locais, o Pujol combina técnicas tradicionais e contemporâneas para construir seu pratos. O menu-degustação de seis etapas no melhor restaurante do México sai por 1.795 pesos mexicanos (R$ 303). Uma outra opção, com 10 etapas de tacos e tostadas e cinco bebidas para acompanhar, sai pelo mesmo preço. Foto:Pujol

1508893661127

5. Boragó, Santiago (Chile)

Aprendiz do basco Andoni Luis Aduriz, do Mugaritz, o chef chileno Rodolfo Guzmán é um dos responsáveis por apresentar os ingredientes e produtos chilenos ao mundo, indo além dos frutos do mar e dos vinhos. Localizado em Santiago, o quarto melhor restaurante da América Latina oferece duas opções de menu-degustação: o Endémica, com 15 etapas, sai por 65.000 pesos chilenos (R$ 330), com harmonização de vinhos, o valor sobre para 108.000 pesos chilenos (R$ 550) ou o menu Raqko, de 6 etapas, que sai por 50.000 pesos chilenos (R$ 260). Foto:Boragó

1508893661203

6. Quintonil, Cidade do México (México)

Chef do Quintonil, Jorge Vallej tem a sua própria horta dentro do restaurante de onde saem boa parte das ervas e verduras utilizadas no menu da casa. Isso é parte fundamental da identidade do restaurante mexicano. O menu preparado especialmente para o outono, com 11 etapas, tem o valor de 1.950 pesos mexicanos (R$ 330). Com harmonização o preço passa para 3.335 pesos mexicanos (R$ 561). Foto:Quintonil

PERU GASTRONOMIA

7. Astrid y Gastón, Lima (Peru)

A casa do chef Gáston Acurio, que colocou a gastronomia peruana no mapa. Ficou em primeiro lugar em 2013 e nunca abandonou o top 10 desde então. O atual menu-degustação da casa, que custa 419 sóis (R$ 419), possui 15 etapas, além de opções à la carte.  Foto:Tiago Queiroz/Estadão

São Paulo 05/10/2015 - PALADAR - A CASA DO PORCO  Novo restaurante bar de Jefferson Rueda  que fica na rua General Jardim no Centro - O cardápio é composto por Sushi de Papada - Pão Chinês - Torresmo com goiabada - Porpoca - Compota de cebola e picles com mostarda e tucupi - Salada de morango com sorbet de manjericao e salsão   - Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

8. A Casa do Porco, São Paulo (Brasil)

Inaugurado há dois anos, o restaurante do chef Jefferson Rueda alcançou a segunda melhor posição entre os brasileiros da lista, abaixo apenas do D.O.M. Saltou do 24º lugar, em 2016, para 8º neste ano. Como o próprio nome sugere, a casa oferece uma verdadeira viagem ao mundo a base da carne de porco em diversos cortes. O carro-chefe da casa é o porco a Sanzé, assado longamente na churrasqueira que ocupa posição de destaque na cozinha.  Vale provar a cabeça do porco, que precisa ser encomendada com pelo menos 48h de antecedência e tem custo de R$ 220, servindo até quatro pessoas. O menu-degustação da casa, De tudo um porco, sai por R$ 100.  Foto:Nilton Fukuda/Estadão

1508893661092

9. Maní, São Paulo (Brasil)

A casa comandada pela chef Helena Rizzo perdeu uma colocação em relação ao ano anterior, ficando com a nona posição no ranking dos 50 Melhores Restaurantes da América Latina. É possível provar os pratos contemporâneos marcados pela delicadeza de sabores e belo visual à la carte ou na forma de menu-degustação de 13 etapas que custa R$ 470, ou R$ 730 com harmonização. de vinhos. A visita vale à la carte ao com degustação. Foto:Roberto Seba/Estadão

1508893661069

10. Tegui, Buenos Aires (Argentina)

O restaurante do chef German Martitegui continua como o melhor restaurante argentino na lista do 50 Best América Latina. Conhecido pela sua comida sofisticada, o Tegui oferece menu-degustação com oito etapas por 2200 pesos argentinos (R$ 407) ou 3000 pesos argentinos (R$ 556) com harmonização.  Foto:Tegui

Fonte: Paladar

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comentários

comentários