A  República Tcheca é um dos países mais importantes do mundo na fabricação de cerveja de alta qualidade. O cultivo e desenvolvimento de ingredientes, desde o lúpulo à água utilizada, atende aos mais altos padrões de qualidade.

Para quem é conhecedor, apreciador ou cervejeiro, não deve deixar de conhecer este país que, além de lindas tradições e beleza, possui uma culinária deliciosa  que harmoniza perfeitamente com a qualidade dessa bebida.

A República Tcheca é o país com o maior consumo per capita de cerveja do mundo, superando a Alemanha em aproximadamente 50%. Os  tchecos  consomem, em média, 156 litros de cerveja per capita ao ano, contra 65 litros per capita dos brasileiros.

Para que possamos conhecer um pouco de alguns dos rótulos mais conhecidos das cervejas tchecas, e como as tradições desse país mudaram a forma do consumo dessa bebida no mundo, precisamos conhecer um pouco desta história.

No ano de 1245 quando a República Tcheca fazia parte da junção de vários países que formavam a região da Bohemia (nome que faz parte do país e onde também acumula a tradição dos cristais da Bohemia Tchecos), a cidade de Ceske Budejovice recebeu o direito de produzir a cerveja Budejovice, que atualmente chama-se Czechvar Pivovar.

Então, muito tempo depois, por volta do ano de 1840, todas as cervejarias do país produziam a cerveja do tipo “Ale” que é uma cerveja considerada de alta fermentação, forte e de coloração escura. Produtores e mestres cervejeiros resolveram se unir na cidade de Pilsen para criar uma nova receita de cerveja, que utilizasse técnicas e ingredientes próprios da região e que tivesse sabor, coloração e aromas diferentes da cerveja Ale que alí era produzida.

Foi então que, em 1842, a nova receita deu origem à cerveja Pilsner Urquell, uma bebida dourada, aromática, saborosa e com um teor alcoólico mais baixo (4.49).

Suave e refrescante, a Pilsner Urquell se transformou  em um enorme sucesso no país e no mundo. E assim, cidades como Pilsen, que não era e não é a única cidade onde existem cervejarias naquela região da Bohemia, outras foram tendo suas cervejas especiais. Em 1869 Praga, a capital da República Tcheca, fundou a sua própria cervejaria, a Staropramen – segunda maior cervejaria do país.

Desde o século XVIII a cidade de Budweis, na região da Bohemia, já produzia uma cerveja dourada extremamente aromática – e no século XVI a cidade possuía mais de 40 cervejarias.

Eu tenho o privilégio de poder apreciar as belezas desse pais regularmente ,e penso que todos os amantes da cerveja e gastronomia deveriam conhecer a República Tcheca. Realmente, este destino turístico é um dos mais concorridos da Europa, pela qualidade dos serviços e o baixo custo, segurança e muitas coisas interessantes para fazer.

Existe em Praga um passeio que se chama Czech beer tour onde o turista pode conhecer as “Pivnices” (bares) e um pouco da cultura tcheca, de como é fabricada a cerveja, que no idioma local chama-se “PIVO”. O passeio inclui a visita e a degustação de diferentes tipos de cervejas locais.

Entre muitos bares tradicionais de Praga, o “LOKAL” (o site é  lokal-dlouha.ambi.cz ) é visita obrigatória onde pode-se provar a melhor Pilsner Urquell de Praga. É fácil encontrar essa cerveja em diversos lugares, até mesmo em mercados. Mas, a diferença é muito grande quando você  degusta a Pilsner Urquell no LOKAL, pois ela é mantida em tonéis de aço, em temperatura adequada, não é pasteurizada, não é filtrada e não tem adição de CO², fazendo com que você sinta o sabor original de como ela foi criada.

A cerveja é tão importante para o povo Tcheco que existem spas, terapias, produtos, tratamentos e banhos relaxantes onde o ingrediente principal é a cerveja.

Este artigo foi escrito pela colunista do Portal FoodJobs, Fátima Del Nero. Fátima veio contar a história da humanidade através da gastronomia. Pós graduada em docência pela Faculdade de Tecnologia em Hotelaria, Gastronomia e Turismo de São Paulo, a Chef é hoje uma grande pesquisadora e incentivadora da gastronomia clássica brasileira e contemporânea, além de ser Chef e Colaboradora da Accademia Gastronomica.

Para conferir mais textos desta colunista, clique aqui.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
8

Comentários

comentários